Ver todas as notícias

11_1_2022__0_IMG-20210205-WA0069.jpg - uploaded/imgs/noticias/11_1_2022__0_IMG-20210205-WA0069.jpg - Disque Denúncia pede informações sobre acusado de um crime brutal em Petrópolis por uma dívida de R$ 100


Disque Denúncia pede informações sobre acusado de um crime brutal em Petrópolis por uma dívida de R$ 100

11/1/2022



O Portal dos Procurados do Disque Denúncia, em parceria com a equipe 105ª DP (Petrópolis), busca informações que localizem e prendam Emanuel Sérgio Simões da Silva, de 43 anos.

De acordo com a Polícia, ele é acusado de assassinar Bruno Monteiro da Silva, conhecido como “Tchoco”, a golpes de marreta na cabeça e com uma facada no pescoço. As investigações apontam que o crime foi motivado por uma dívida de R$ 100 e desentendimentos entre o autor do crime e a vítima.

O mistério em torno do inicial do desaparecimento da vítima começou a ser desvendado com o depoimento da ex-companheira de Emanoel, que, após ter sido agredida, decidiu relatar para a polícia tudo que tinha presenciado. Com o depoimento da mulher, mesmo 10 meses após o crime, os peritos conseguiram encontrar provas de que o assassinato tinha ocorrido, de fato, na residência do acusado.

No dia 26 de abril do ano passado, um dos irmãos da vítima foi a delegacia, para relatar que o Bruno estava desaparecido desde o dia 22 daquele mês. Durante meses, os investigadores tentaram localizar a vítima, até que a ex-companheira de Emanoel procurou a polícia, em novembro daquele ano, para denunciá-lo por agressões sofridas por ela e acabou detalhando também o assassinato cometido pelo acusado.

A testemunha contou que Emanoel colocou fermento em cima do mármore de uma janela da casa e simulou ser cocaína. Ele ofereceu a suposta droga para Bruno, que aceitou. Ao se abaixar, a vítima foi golpeada com marretadas na cabeça. Em seguida, levou uma facada no pescoço.

A testemunha também contou que depois de matar Bruno, Emanoel ateou fogo em seu corpo, mas em determinado momento o cadáver parou de queimar e o homem decidiu esquartejá-lo. Para isso, contou com uma ferramenta elétrica utilizada para cortar azulejos. Em seguida, os pedaços foram colocados em sacos plásticos e jogados em diferentes lixeiras do bairro. Para ocultar o cadáver, de acordo com as investigações, Emanoel teve ajuda de um amigo, que já foi preso.

A polícia já fez várias diligências em Macaé, Rio das Ostras e na Zona Sul do Rio, mas não conseguiu localizá-lo até o momento. Contra ele consta um mandado de prisão, expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Petrópolis, pela prática de Crime de Homicídio Triplamente Qualificado, ocultação de cadáver, vilipêndio a cadáver e fraude processual, já que apagou imagens de câmeras de segurança de sua residência, para encobrir o crime.
 

O Disque Denúncia recebe informações sobre a localização do foragido na central 21.2253 1177, no WhatsApp 21.98849 6099 ou pelo aplicativo "Disque Denúncia RJ"

O anonimato é garantido em ambos os canais.

A 105ª DP está encarregada do caso e inquérito criminal.



Ver todas as notícias

© 2015 Disque Denúncia Rio todos os direitos reservados. Criação e desenvolvimento por ASCOM DD Rio.

O Disque Denúncia é uma parceria da Secretaria de Estado de Segurança Pública com a sociedade civil do Rio de Janeiro.